quarta-feira, 19 de agosto de 2020

Em que lugar na Bíblia diz que a Igreja será arrebatada antes da Grande Tribulação?

Resposta:

Em lugar nenhum!

O que existe são elucubrações, deduções, alegorização, mas nenhum texto objetivamente claro sobre essa doutrina falsa que sorrateiramente se infiltrou na Igreja e se tornou um dogma.

Admito: acreditava nisso e por inúmeras vezes preguei sobre ela. Mas admito também, que sempre me inquietou a falta de um texto objetivo e nítido sobre tal doutrina.

A doutrina do Arrebatamento ANTES da GRANDE TRIBULAÇÃO, é um dogma entre os pentecostais e algumas denominações históricas.

A igreja não será arrebatada ANTES  da grande tribulação, pelo contrário, Paulo diz que não acontecerá sem que ANTES seja revelado o HOMEM DO PECADO, o INÍQUO. Veja:

Irmãos, no que diz respeito à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com ele, nós vos exortamos
a que não vos demovais da vossa mente, com facilidade, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como se procedesse de nós, supondo tenha chegado o Dia do Senhor.
Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição,
o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus.

2 Tessalonicenses 2:1-4 

Pretendo aqui dar uma série de textos biblicos que refutam tal doutrina...


sexta-feira, 20 de março de 2020

Porque a China transmite a maior parte dos vírus? Why does China transmit most viruses?


Why does China transmit most viruses?

 MUNDO CHINA

 Hora de proibir mercados úmidos

 O consumo desenfreado da China de animais exóticos e a falta de padrões de higiene estão longe de estar acima das críticas

 Melissa Chen

 

 Um mercado úmido em Cingapura

 18 de março de 2020

 13:16

 TwitterFacebookLinkedInWhatsapp

 Há um flashback recorrente da minha infância que nunca deixa de induzir um arrepio de gelar a minha espinha.  O pedido de minha mãe para companhia em suas viagens mensais de compras ao mercado úmido sempre foi uma escolha da Hobson, que me ressentia profundamente porque a experiência era terrível.  Nas entranhas do complexo de Chinatown, em Cingapura, havia um grande mercado ao ar livre que contrastava fortemente com os arranha-céus chamativos e ruas imaculadas.  O lugar era uma verdadeira e não tão pequena loja de horrores e até hoje, esses horrores permanecem firmemente gravados em minha memória.

 Um fedor distintamente fétido o recebe muito antes de entrar no mercado;  logo fica claro por que eles são chamados de "molhados".  Fluidos não identificados, às vezes com faixas de redemoinhos vermelhos, se acumulam ao redor dos sapatos, drenando dos blocos de gelo usados ​​para manter todas as carnes frescas.  Os lojistas ocasionalmente limpam as coisas em tentativas ilusórias de dispersar os líquidos de aparência suspeita, o que significa que o chão nunca seca.  Enguias e peixes vivos mergulham em tanques abertos empoleirados nas mesas de preparação, onde são espancados, eviscerados e filetados para cada cliente.  Certa vez, tive a infelicidade de ficar na Zona de Respingo, muito perto de um peixeiro que estava lutando e descalcificando uma cabeça de cobra (tipo de peixe) enquanto ainda estava violentamente se mexendo e ofegando por ar.  Uma mistura de sangue, água e manchas de escama de peixe choveu em mim como confetes macabros.

 Mercados úmidos, como o de Wuhan, que foi o marco zero da pandemia de COVID-19 em todo o mundo, são comuns em toda a Ásia.  As grandes cidades recém-industrializadas da China abrigam centenas desses mercados, fornecendo produtos frescos e carne, mas também funcionando como núcleos sociais.  Além dos duvidosos padrões de segurança e higiene alimentar, o que fez do mercado de frutos do mar Wuhan uma placa de Petri tão cheia de patógenos virais é o compêndio de animais mortos e vivos que foram mantidos nas proximidades, às vezes infestando sua própria matéria fecal.

 Fotos e videoclipes que circulavam no Weibo e em outras plataformas de mídia social mostravam a variedade de animais à venda - filhotes de lobos, ratos, pavões, guaxinins, porcos-espinhos, cobras, crocodilos e raposas, todos presos lado a lado em gaiolas frágeis aguardando seus próprios animais.  abate, facilitando o salto de doenças zoonóticas de espécie para espécie e de animais para humanos.  Os cientistas acreditam que o pangolim, um mamífero ameaçado de extinção do sudeste asiático que se parece com a imagem de um tamanduá escamoso e um tatu, foi o intermediário que ajudou a atravessar o novo salto do coronavírus de seu hospedeiro original, morcegos, para humanos.  Até o momento, o vírus infectou mais de 200.000 e matou mais de 8.000 pessoas em todo o mundo.

 A preferência chinesa por mercados úmidos e fauna exótica tem profundas raízes sociais, históricas e culturais.  Por volta de 1960, o desastroso Grande Salto Adiante do Presidente Mao levou ao colapso agrícola e à fome de dezenas de milhões de pessoas, um trauma que continua a causar uma impressão indelével na psique coletiva da China hoje.  Por um lado, era necessária uma mentalidade de escassez.  Sob condições de fome, realmente importa qual vaso de carne corporal estava fornecendo sua próxima ingestão calórica?  Por que você desperdiçou alguma parte do corpo?  Há um velho ditado cantonês que diz: 'tudo o que anda, nada, rasteja ou voa de costas para o céu é comestível'.

 

 O mito de que animais recém-mortos têm um sabor superior é muito difundido, principalmente entre as gerações mais velhas.  "As galinhas recém-mortas são muito melhores do que a carne congelada nos supermercados, se você quiser fazer uma sopa de galinha perfeita", disse uma mulher de 60 anos chamada Ran à Bloomberg enquanto fazia compras em um mercado chinês.  "O sabor é mais rico". Talvez porque a refrigeração doméstica só tenha se espalhado na China nas últimas décadas, os chineses com raízes rurais ainda associam o frescor com o quão recentemente a carne foi abatida.  É por isso que os vendedores mantêm seus animais vivos e apenas os matam diante dos olhos de seus clientes.

 Quanto ao que está impulsionando a demanda por animais selvagens exóticos, precisamos apenas olhar para a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), que é amplamente adotada na China e entre a diáspora chinesa.  Suas raízes filosóficas remontam ao texto antigo O clássico da medicina do Imperador Amarelo, escrito há cerca de 2.000 anos.  Este é o material de origem que apresenta os vários efeitos terapêuticos de partes específicas de animais silvestres e sugere que o consumo de carnes exóticas confere riqueza e status ao devoto.  Que tragédia os 100.000 pangolins que são eliminados todos os anos são sacrificados pela falsa crença de que suas escalas podem ajudar na circulação sanguínea e curar o reumatismo!  Enquanto isso, Pequim continua promovendo agressivamente a MTC, tanto internacional quanto internamente, em uma tentativa de projetar orgulho nacionalista e poder brando.  No final do ano passado, o site de notícias estatal China Daily informou Xi Jinping dizendo que "a medicina tradicional é um tesouro da civilização chinesa, incorporando a sabedoria da nação e de seu povo".  Mais recentemente, as autoridades chinesas também têm divulgado o sucesso da implantação de métodos de MTC para tratar mais da metade dos pacientes hospitalizados com COVID-19 na província de Hubei, um movimento irônico, uma vez que foi a própria indulgência da crença mágica nos remédios tradicionais que provavelmente causou  o surto de coronavírus em primeiro lugar.

 Para seu crédito, o governo chinês tomou medidas rápidas para fechar cerca de 20.000 fazendas de animais selvagens e punir mais de 2.000 pessoas por crimes contra a vida selvagem desde que o COVID-19 estourou incontrolavelmente.  Eles também baniram temporariamente o comércio de animais silvestres até o fim da epidemia, mas não sem abrir exceções para animais selvagens para os fins da MTC.  A menos que essa brecha seja fechada, as pessoas podem e simplesmente abusarão do sistema e usarão o TCM como uma desculpa para contrabandear mais carne e participar do comércio.

 Enquanto isso, vários artigos criticam as maneiras problemáticas pelas quais os hábitos alimentares e de higiene chineses foram discutidos à luz do surto, especialmente porque eles podem levar à estereotipagem do povo chinês como um todo por ser bárbaro e incivilizado.  Eles temem que esses estereótipos acabem apenas alimentando a xenofobia e o racismo.  A tentação aqui é evitar cair na armadilha do relativismo cultural.  É perfeitamente apropriado criticar o consumo desenfreado da China de animais exóticos, a falta de padrões de higiene e o comportamento arriscado que coloca as pessoas em risco de infecções zoonóticas.  Até que esses comportamentos arraigados baseados em crenças culturais ou mágicas se divorciem da cultura chinesa, os mercados de vida selvagem úmidos permanecerão enquanto bombas-relógio estão prontas para desencadear a próxima pandemia, que em uma era globalizada está se mostrando muito fácil de fazer.  Já sabemos que mais de 75% das doenças emergentes são originárias de animais e que, no século passado, pelo menos 10 doenças infecciosas saltaram de animais para pessoas.  A China deve estar horrorizada com seu papel de desencadear o efeito dominó global no mercado de frutos do mar de Wuhan no final de 2019.

 Após inúmeras infecções e mortes, a obliteração de trilhões de dólares e a reformulação radical da vida moderna como a conhecemos, o mínimo que a China poderia fazer é introduzir regulamentos mais altos de segurança alimentar, erradicar todos os mercados úmidos e proibir o comércio da vida selvagem, de uma vez por todas  .

segunda-feira, 9 de março de 2020

Um novo mover do Espírito Santo.


Jesus descreve o Espirito Santo como o "Espírito da Verdade".
Ele diz: "...quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. João 16:13 "

Crescimento é sintoma de um corpo saudável. Crescimento não é o objetivo inicial. Lidamos diretamente com pessoas e colocá-las em conexão uma com as outras, é um desafio.

Abrir a casa, abrir o coração, orar juntas e juntas crescer em espiritualidade, é o objetivo de dois ou três reunidos em Seu Nome.
Jesus fez isso, é a relação do mestre e discípulo.

Pessoas tem reservas, querem privacidades e são tímidas. Elas tem medo de suas vidas serem invadidas e de fato, colocar líderes imaturos dentro de casas é um grande erro.

A idéia de "célula" que algumas igrejas fizeram de modo errada, assusta e mantém as pessoas retraídas e desconfiadas. Temos que lidar com esse "bloqueio" na cabeça das pessoas...

O conceito bíblico, neo testamentário como CORPO de CRISTO vai contra toda essa "defesa" psicológica da cabeça das pessoas.
Se a "célula" for saudável, gerará naturalmente outras células.

Tem que se ( e jejuar) orar muito e colocar o Espírito Santo como líder do pequeno grupo e dar a direção desejada por Ele.

Nunca havia pensado em DEUS como um grupo pequeno. É a trindade dentro de uma UNIDADE.  Jesus revelou isso na oração que fez no capitulo 17 de João. Uma "comunidade" dentro da unidade. Genesis começa com essa descrição. O capitulo primeiro revela essa trindade dentro da Unidade.

Introduzir essa direção dentro de uma igreja local, não importando seu tamanho e nem sua idade, propõem um novo rumo na vida das pessoas. É preciso esclarecer sobre o "fluxo e refluxo" que os pequenos grupos causam na igreja. É nesse ponto que a "pastorada" tem medo e insegurança, pois é nesse momento que o Espírito Santo assunto e nós viramos meros coadjuvantes de Sua liderança.Falta fé e preparo para isso!

Fiz certa vez, um trabalho de pequenos grupos como pastor de jovens numa igreja de porte médio em São Paulo, em pouco tempo, um grupo aproximado de 80 jovens, cresceu rapidamente para uma mádia de 200 e poucos. Reuníamos em praças, lanchonetes, casas, parques e até no Memorial da América Latina. O pastor titular nos dava apoio e liberdade, mas a esposa (pastora) era um problema.

O ponto central da Cruz é comunidade em grupo pequeno. Vou explicar: a cruz, literalmente eram dois madeiros cruzados, um horizontal e outro vertical, o que aponta Jesus como aquele que une homens à Deus. A cruz tem essa simetria do horizontal e vertical. O ponto de junção, é onde está a comunidade em pequenos grupos.

Alí se faz a conexão.

O numero 101 representa bem isso, o "0" é onde está o pequeno grupo de comunhão e encontro dos discípulos.
Isso é uma revelação!

Israel e a igreja só sobreviveram as perseguições porque sempre viveram em pequenas comunidades, seja nas casas, seja na sinagogas. 
Enfim...esse é o só o começo...


Reinaldo de Almeida

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Kronos e kairós





O que é Kronos e o que é Kairós?

A Bíblia nos mostra que existem “muitos tempos”.

O tempo linear (Kronos) é apenas um deles. É a nossa “timeline” (linha do tempo). 
É de onde vieram as palavras cronograma, cronômetro, cronológico, etc...

O tempo do plano de Deus agir por meio de uma pessoa, se chama Kairós. É apenas o outro tipo de tempo.

O tempo mais misterioso e do qual quase nada sabemos, é revelado na Biblia na primeira letra do alfabeto hebraico: “alef”. Na cabala hebraica, essa letra manifesta muitos princípios, muitos começos e muitos tempos antes do Kronos e do Kairós, ou seja, antes do primeiro homem andar nesse planeta.

O Apocalipse nos revela no mínimo, cinco tipos diferentes de perceber e compreender “os tempos”.

Lendo o Apocalipse, na minha grande ignorância, eu puder perceber e discernir o kronos, o kairós, o eterno (álwia – apenas um deles), o aspiralado, o simultâneo. No Apocalipse, num único capitulo (e tem muitos!), aparecem, conjuntamente todos esses “tempos” percebidos. Não é a toa que esse último livro da Biblia se chama “revelação”.

Foi Albert Eistein que disse acertadamente: “que o tempo é uma ilusão”.

Verdade.

Certa vez, repeti para um ciclista essa frase do Eistein, ele olhou para mim e debochando, disse: “é que você não faz ideia do tempo em cima do selim de uma bicicleta numa corrida, você corre “contra o tempo”!

O tempo para um casal apaixonado passa depressa, mas o mesmo tempo para um ciclista, dura uma “eternidade”. Então veja, até dentro do kronos, o tempo nos engana! Dentro de um único tempo (kronos-linear) existem muitos tempos!

Cada explicação desses tempos, dariam para escrever tantos livros quantos precisariam. Mas eu só vou arranhar a ideia do kairós dentro do kronos. O tempo da promessa de Deus na vida de uma pessoa. Qualquer pessoa.

O tempo linear (kronos) é o nosso. Mas é dentro do nosso kronos que o kairós acontece!

 ( Tirado do livro de minha autoria: "Kairós" - Quando Deus não tem pressa!)

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

LANÇAMENTO DO LIVROS "CAÍDOS"


Um professor é desafiado a viajar para o interior do Estado mato-grossense, para investigar junto as autoridades locais, o desaparecimento de quatro jovens paulistanos. Fenômenos físicos e espirituais despertados por forças sobrenaturais, formam uma rede intrincada de maldade e assassinatos naquela região. O que parecia ser uma viagem curiosa e até turística, acaba se tornando risco de morte para o professor e um pároco luterano local. A cidade de Sorriso é visitada por uma horda de espíritos mal-intencionados. Sua geografia e o estilo tranquilo da população local, servem de laboratório experimental por pessoas vindas de outros lugares que se juntam à seres demoníacos. A turbulência política, econômica e social do país não é resultado apenas de seres humanos corruptos. O plano é destruir toda uma nação. Sem saberem, o professor e o pároco luterano se envolvem numa triangulação maligna de um grupo satânico que planeja a criação de algo diabólico. Essa região se torna também palco da eterna luta do bem contra o mal. Alguns capítulos são fortes, mas não exagerados, pelo contrário, detalhes foram omitidos e amenizados para não causar mal-estar e nem confusão em alguns tipos de leitores. Segundo as palavras do professor:
Os espíritos desses seres caídos sempre estiveram entre nós!
A narrativa dessa história prova isso. Tudo foi proposital.
Espero que ao final da leitura você esteja mais ciente disso e dos mundos que te cercam.

Palavras-chave: ficção, filosofia, religião, romance
430 PÁGINAS

PARA ADQUIRI-LO, APERTE AQUI: https://clubedeautores.com.br/livro/caidos-2


Estamos rodeados por um mundo espiritual. Talvez, por
mundos espirituais.
O Planeta Terra é enorme. Oceanos com os seus continentes,
seus polos gélidos, suas dunas desérticas e milhões de hectares de
florestas e altas montanhas, sem contar a imensidão do espaço
atmosférico. Apenas 5% da crosta terrestre foi penetrada.
Seres e entidades espirituais convivem conosco nesse mesmo
espaço-tempo. Forças inteligentes que causam fenômenos
inexplicáveis para a Ciência.



Obviamente, existem milhares de manifestações espirituais
desses seres em muitos desses lugares no planeta. Tribos indígenas
isoladas na Amazônia, beduínos nos desertos distantes, aborígenes
em muitas das milhares de ilhas no Pacífico, Oceania ou no Índico.
Humanos de todos esses lugares presenciam essas realidades
constantemente. Quando uma dessas aparições acontece numa área
metropolitana da cidade vira notícia, com muitos espiritualistas,
gurus, sacerdotes, profetas, físicos, médiuns, ufologistas, esotéricos,
padres e pastores tentando explicar.
Tento explorar um pouco disso neste livro.
Alguns capítulos são fortes, mas não exagerados - pelo

contrário, tive que omitir e amenizar a narração para não causar mal-
estar e nem confusão em alguns tipos de leitores. Evitei também dar

receita de algumas obras das trevas que podem inspirar outros. Nada de
dar ideias a alguns para o mal! Omiti elementos essenciais de algumas
dessas receitas das trevas. Alguns personagens me contaram
pessoalmente os ritos que praticaram quando estavam em alguns
desses grupos. Mas, por favor... já temos malignidades demais nesse
mundo!
Quando fui missionário Batista viajando por algumas partes
do mundo, inevitavelmente, acabava me deparando com todo tipo de
pessoas e crenças.
Espero que ao final da leitura você esteja mais ciente disso e
dos mundos que te cercam.
Detalhe: é importante que você leia as referências bíblicas que
surgirem na história.
Aos mais sensíveis, aviso: essa história pode ser pesada.

– Reinaldo de Almeida

PARA ADQUIRIR ESSE LIVRO, ACESSE AQUI:
https://clubedeautores.com.br/livro/caidos-2

430 PÁGINAS.

Lançamento do livro: CAÍDOS - Autor: Reinaldo de Almeida

Em que lugar na Bíblia diz que a Igreja será arrebatada antes da Grande Tribulação?

Resposta: Em lugar nenhum! O que existe são elucubrações, deduções, alegorização, mas nenhum texto objetivamente claro sobre essa doutrina f...