quinta-feira, 26 de março de 2009

Que desperdício!

A cena é proféticamente uma mensagem às avessas:

A mulher entra sorrateiramente na casa de um "fariseu", onde um banquete, um jantar havia sido preparado para Jesus. Sem pedir licença, mas com o sentimento mais puro e singelo do mundo, ela quebra o invólucro da tampa do vaso do perfume precioso e derrama sobre os pés empoeirados do jovem Galileu. Grupo de fariseus amigo do anfitrião e grupo de discipulos encostados às paredes exclamavam: que desperdício!



Vivi muitos anos à serviço da "igreja". Creio que mais de vinte anos. Dei o melhor de mim à ela. De fato, foi o meu amor à Jesus nos primeiros anos de minha vida cristã, que me fez "derramar" os melhores anos de minha vida no corpo de Cristo! Nele (o corpo de Cristo - a igreja) ofereci, o meu tempo, as minhas energias, os meus talentos, o meu dinheiro, à causa do Evangelho - que na década de 70 - onde ainda se podia ver muita simplicidade e muito despreendimento na igreja evangélica brasileira.



Acredito que muita gente (eu acho), hoje, ao ver o estado atual desse famigerado cristianismo e dessa famigerada igreja dita evangélica, já deve ter lamentado profundamente os anos de vida que se dedicou à sua antiga denominação.



Não somente me envolvi de alma e corpo na causa da evangelização da igreja naqueles dias, como ajudei a minha antiga denominação a se enriquecer. Nos projetos de melhorias de reformas e contruções de templos antigos e muitas vezes, ,esteticamente, pequenos e ridículos que ela possuía, bem como, na aquisição de novos terrenos para novos pontos de pregações para a Palavra de Deus. É claro que hoje penso, às vezes, que poderia ter gasto todo aquele tempo e dedicação no bem -estar de mim e da minha família. Mas não fiz. Resolvi derramar tudo aquilo "nos pés do corpo de Cristo".



É verdade que aquela mulher não tinha como evitar que o cheiro gostoso e perfumado beneficiasse a casa do fariseu hipócrita e aquela turba mau intencionada de convivas, que naquela noite memorável, ela resolveu derramar toda aquela preciosidade, de no mínimo, um ano de salário de trabalho e de suas economias.
Aquela gente não merecia sentir o aroma do bálsamo precioso.
Mas ela focou Jesus, e com lágrimas nos olhos de gratidão e amor, chorava, enquanto enxugava os pés do Nazareno com os seus cabelos.



Penso muitas vezes nos lobos travestidos de ovelhas que se beneficiaram do meu trabalho e dos anos que dediquei nas denominações por onde passei.
Enquanto servia ao Senhor, alguns desses líderes hipócritas ( e quanto mais alto o posto, mais surtado o sujeito que o ocupava!) babavam e se beneficiavam (e ainda se beneficiam) das consequências do meu trabalho.



Já me lamentei por isso. Sei que eu poderia ter dedicado todo aquele meu tempo e meu trabalho em melhorar minha vida numa outra dimensão e carreira profissional.
Que desperdício! me disseram, Que desperdício! o diabo me disse. Que desperdício! pensei. Que desperdício! disseram os "judas" que estão na "igreja".



Mas aí Jesus contra - ataca à todos dizendo: "Deixai-a!". Ela fez para mim! Ela está dedicando o melhor que podia guardar para mim!



Eu disse que este é um quadro profético às avessas. Duvido que Jesus não tenha percebido que tudo aquilo que fizemos e vivemos nos nossos primeiros anos de vida cristã não tenha sido para ele! Mesmo tendo sido feito "dentro da casa do fariseu hipócrita".



Duvido que todos os anos servidos naquele tempo não tenha sido posto num "memorial" diante d'Ele, como foi o caso pré anunciado que aquilo que a mulher estava fazendo seria lembrado em todos os lugares onde o evangelho fosse anunciado!



O melhor que faço hoje é deixar para trás o que foi feito, porque já foi feito e muito bem feito.



Maria teve o privilégio de ser a única que conseguiu ungir o corpo de Jesus ANTES da morte de Jesus e a ÚNICA que conseguiu fazer isso, porque na ressurreição de Jesus, quando as mulheres foram lá, segundo o COSTUME DA ÉPOCA, ELE já havia ressuscitado!



Sem auto-comiseração hoje digo. Derramamos o melhor DE NÓS para "Ele". E isso não nos pode ser tirado mesmo que o diabo, o mundo e os fariseus digam que foi "desperdício".

4 comentários:

Antonio disse...

Irmão vc, se sente arrependido por ter desperdiçado sua vida na obra.
Olha creia sómente, pois vc, fez pra Jesus.
Só ele entende nos sinceros motivos.
Deveria esquecer o passado, ja esta feito.
Pense no hoje, Deus não mudou é os homens que mudam.
Te admiro muito.
Vc e sua familia nunca vou esque-los.
Beijos

Antonio

Nilza disse...

Reinaldo penso que vc deveria reconsiderar algumas coisas em sua vida.
O tempo passa tão rapidamente.
Sou de Itapetininga e te ouvia pelo rádio, lamento por não estar mais pregando.
Cheguei a pensar na possibilidade de estar junto de vcs.

Onde vcs estão?
Estou orando

Nilza

Depósitos de idéias disse...

Nilza devo estar voltando na rádio daqui algum tempo, estou ajustando meu horario em relação as escolas que dou aulas. mas caso queira mais informação entre em contato pelo meu msn :hobbyrei@hotmail.com
Obrigado por seu comentário.

Clau disse...

Li isso de um Caminhante e expressa exatamente o q penso resolvi compartilhar.

Desejos amigos...
Desejo a você e a mim que vejamos sempre a verdade ainda que ela seja contra nós mesmos, que os nossos olhos e mente se abram com discernimento ante o Evangelho que acreditamos.

Desejo a você e a mim que apenas belas palavras não sejam nossos alimentos, mas principalmente, todas as lições que aprendemos ao andar “pelo vale da sombra da morte” das nossas vida.

Desejo a você e a mim que o Jesus que acreditamos não seja apenas uma figura religiosa em nossos corações, mas que Ele seja o que Ele é: Deus.

Desejo a você e a mim que tudo que seja lido, ouvido e visto a cerca da Mensagem da Graça do Pai não fique apenas servindo como um oásis, mas que atue no mais profundo e íntimo do nosso ser.

Desejo a você e a mim que deixemos nossas meninices de lado e utilizemos a Graça da vida para sermos homens e mulheres maduros.

Enfim, desejo a você o que sempre desejaria a mim a fim de caminharmos juntos “Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro.”
Clau