quinta-feira, 18 de outubro de 2007

INÚTIL

Inútil!
É assim que me sinto às vezes.
"- Não precisamos de você!". Uma voz obscura me diz em meu interior.
"- Sua vida não nos faz diferença!"
"-Sua opinião não nos interessa!". Ouço de novo.
"-Sua amizade, não nos interessa!". São vozes que ecoam em meu interior quando passo muito tempo sozinho, em solidão imposta pela vida!
"- Estamos bem sem você por perto! Estamos bem do jeito que estamos e não vemos razão para mudanças! Desacreditado, ignorado e inútil, penso.
"- Sua ausência, sua presença, sua fala, seu silêncio não nos desperta para mudanças em relação à você!"
Bem...A minha "utilidade" é Deus quem faz.
Por tantos anos reclamei da intromissão das pessoas, da maneira que elas gostavam de xeretar a minha vida que agora parece que sinto falta. Não deveria ser assim pois intromissões passadas, hoje vejo, não significavam "amor".
O que restou?Restou esta total falta de amizade, companheirismo e esta aridez emocional e psicológica. No entanto, isso pode ser uma boa oportunidade de buscar uma maior e mais duradoura comunhão com Deus. Oportunidade de se "satisfazer" em Deus.
Só n'Ele.
Esta "ausencia" de utilidade pode ser usada para um retorno pessoal, íntima, de volta ao estudo da Bíblia e uma vida de oração descomprometida com a obrigação de orar por orar por que sou pago para orar.
Posso conversar com Deus sem interesses ou obrigação. É uma boa oportunidade,afinal de contas, já que as pessoas não se importam mais conosco há UM que se importa.
É Deus quem faz a nossa utilidade! E para Ele sempre seremos úteis e preciosos.Há muita coisa para ler, para aprender, para se concluir.
Há mais tempo para se "retirar" em oração e meditação.
Pensando bem, é bom estar "inútil", "esquecido", pois se não há interesses legítimos pelas pessoas em você, então por que viver iludido?
Deus não se interessa por mim segundo o grau de utilidade que eu possa ter para Ele.
O fato de não estar excercendo nenhum "ministério" diante dos homens não exclui o grau de importância que eu tenho para Ele!

Nenhum comentário: