quinta-feira, 11 de setembro de 2008

O uso da Bíblia como na cartomancia

Estou estarrecido.
A Bíblia tem sido usada com o mesmo princípio que se opera na cartomancia (leitura de cartas do Tarô).


Tenho um programa de rádio aqui em minha cidade. Logo depois do meu programa, surgiu uma "profeta" que usa a bíblia aplicando o mesmo princípio que se aplica no esoterismo cartomante. Os ouvintes ligam pra ela, em sua totalidade "crentes" de várias denominações, principalmente os pentecostais, solicitando que ela lhes entregue uma "palavra de Deus" para aquela hora, para aquele dia, então ela abre a bíblia e no lugar onde cair seu dedo, na passagem bíblica ela lê e depois começa a "profetizar" sobre a vida da pessoa. Suas palavras são só de ameaças, medos e maldições e quando "profetiza" vitória faz sob a ameaça de que o ouvinte faça alguma coisa para Deus - ou melhor para a igreja da profetiza.

Eu sabia que as coisas poderiam piorar, no entanto, não imaginava que o movimento dito "evangélico" ia paganizar tanto. Até posso entender o manuseio incorreto da Bílblia por pessoas que a usam apenas para retirar delas mensagens para suprir uma necessidade de domingo à noite, por anos fiz isso também, porém, sempre entendi e respeitei algumas regras básicas de interpretação sem adulterar o sentido hermenêutico e exegético dos livros da Bíblia.

Hoje sei que nada disso é necessário.

Porém, o que vejo hoje, é um uso bizarro daquilo que originalmente prezava-se para não acontecer: a bíblia sendo usada como "amuleto" e como leitura "profética' para a vida das pessoas, isso pra o povo dito evangélico. Existem em muitas rádios evangélicas hoje, e isso com muito sucesso e solicitações, o momento em que o ouvinte menciona qualquer número e o "pastor' ou "profeta" seleciona em sua Bíblia o livro com o número solicitado e iniciando-se aí o "momento da palavra"; um tipo de "numerologia gospel", ou "roleta numérica", meio "bingo bíblico", com textos bíblicos préviamente selecionado pelo locutor e produtor do programa radiofônico, aí, em meio as línguas estranhas e ao "assim diz o Senhor" começam as adivinhações (tudo muito genérico!). Vi esta prática sutilmente se iniciar em algumas rádios no passado e hoje ela se tornou "sucesso" em qualquer programa evangélico. Nada mais triste e lamentável somando-se à este movimento-evangélico-pagão da igreja brasileira.

Sem dúvida, mais um ingrediente se misturando neste grande caldeirão de práticas bizarras do movimento evangélico-pentecostal. Lembra das "caixinhas de promessas"? virou coisa do passado.

Os esotéricos, pelo menos, são mais originais!

Nenhum comentário: