domingo, 18 de janeiro de 2009

A Palavra de Deus é maior que a Bíblia



Alguns dias atrás estava conversando com um amigo que trabalha com vendas de máquinas industriais para o setor gráfico. Dentre os muitos clientes que ele atende, um deles é uma empresa gráfica que imprime "bíblias". Ele me contou um fato curioso: o grande desafio deles (como de qualquer outra empresa) é aumentar o faturamento anual de vendas de Bíblia e outros produtos similares. 



O interessante é que a Bíblia em si não muda "muito" o seu conteúdo e na maioria dos lares católicos, evangélicos e espíritas cristãos já possuem uma versão da Bíblia. Além disso, a Bíblia não se desgasta assim tão rapidamente, visto que a maioria das pessoas a possuem apenas como um objeto religioso, místico ou mágico e os que lêem, não a lêem com tanta frequência assim...

Então (continuou meu amigo) eles vivem um grande desafio, ou seja, como não podem alterar "muito" o conteúdo do livro e a necessidade de cumprir metas orçamentárias lhes é exigido pela diretoria da empresa, só lhes resta uma opção: buscar dentro do Brasil e fora dele os diversos autores e comentaristas de destaques, pois já que não se pode "mexer" na massa do bolo, todavia pode se alterar os "recheios e coberturas". Entendeu?

Então o que acontece? Temos hoje dentro de uma mesma casa uma Bilblia atualizada, outra Corrigida, uma outra na "linguagem de Hoje", além disso, temos também a "Pentecostal, outra de "Profecias", outra do Empresário, outra Devocional, uma outra de Apologética"; a Bíblia da Mulher, a Bíblia do "Pastor", a famigerada Bíblia da Prosperidade e Batalha Espiritual" ; outras excelentes como a de Thompson, Vida Nova, Anotada, Aumentada, Explicada, Revisada, NVI, Scopfield; agora temos a Bíblia do Adolescente, a Bíblia "Letras GIGANTES", UFA!!!! Tem mais?

A questão é: o quanto realmente temos nos alimentado da Palavra escrita de Deus?
Entendemos realmente que a Palavra de Deus é maior que a Bíblia sagrada?
Compreendemos o processo histórico da palavra escrita desde os desenhos e sinais nas cavernas, as tábuas de argila, os bastões tribais usados como amuletos e signos de poder; os rolos de papiros que ficavam trancafiados nas sinagogas e nas mãos de uma elite religiosa, cujo acesso o povão pobre não podia se aproximar até o origem do papel celulose e da cópia impressa na máquina de Lutemberg?

Ou Deus só começou a falar depois que Lutemberg inventou a imprensa?

Foi Martinho Lutero (no mesmo período de Lutemberg) que traduziu a Bíblia do latim (porque a igreja Católica afirmava que o latim era a Língua de Deus e dos anjos) para o alemão e com o advento da imprensa fez cópias e distribuiu para o povo.

Acredito que a Bíblia é a palavra de Deus, no entanto ela n ão tem "toda" a palavra de Deus. A Palavra de Deus permanece no céu (Salmo 119 :89). A palavra de Deus chega té os confins do mundo (Salmo 19). A palavra de Deus é mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes e penetra até o interior de nossas entranhas, invadindo, inclusive, nossas noites em nossos sonhos (Hebreus 4:12).

Se eu pegar um copo e enchê-lo com a água do oceano e dizer que naquele copo tem agua do mar, pois todos os elementos químicos e minerais que compõem a agua do mar estão lá, eu não estaria mentindo, mas dizer que o copo com água do mar é o Oceano aí , estarei grandemente
equivocado. A Bíblia está para o copo como o Oceano está para a Palavra de Deus e muito mais!

Por isso, andar com a Bíblia debaixo do braço, nada quer dizer. Dizer que somos o povo do "Livro", tambem nada quer dizer. Conhecermos a Bíblia do Gênesis ao Apocalipse seguindo aquela "tabelinha" de leitura anual da Bíblia tambem não diz muita coisa a respeito de nós, mas encarnarmos a palavra de Deus em nossas vidas, sem misturas, sem neuroses, sem interpretações pré-fabricadas já seria um bom começo.

Uma reeleitura da Bíblia e dos evangelhos em sua simplicidade faria grande diferença em nossas vidas.
De que nos serve nossos Seminários?
De que nos serve nossos cursos teológicos?
De que nos serve conhecer o grego, hebraico e latim?
De que nos serve nossas teologias sistemáticas?

Adoração da Letra. Adoração do Livro. Adoração da ciência.
A Letra mata. A Ciencia incha.
Bibliolatria.

Uma única cópia da Biblia e sua leitura singela é o suficiente para ouvir a Palavra do Espírito e o Espírito da Palavra.

Um comentário:

Clau disse...

Verdade amigo o comercio da fé esta cada vez mais se expandindo e as pessoas mais cegas ,como disse o Caio a falta de reflexão é tão grande q acostumados ao não exercicio do pensar,acabam por contribuir com estes absurdos que vemos por ai. Parabéns pelo texto muito bem escrito e serve de alerta a todos que acompanham seu blog e os muitos que ainda irão se beneficiar com ele.Eu continuo por aqui torcendo muito por vc.Um grande abraço da sua amiga
Clau.