terça-feira, 10 de junho de 2008

A estranha possibilidade de viver sem religião!

No Apocalipse capitulos 16, 17 e 18, encontramos o juízo divino sendo derramado sobre a religião o comércio e a política que domina no sistema satânico o qual chamamos de "mundo". Não se trata do "cosmos" e nem da raça humana como criação de Deus (João 3;16), mas do mundo como sistema tirânico, injusto e diabólico. O interessante é que nesta altura da história da civilização humana, ou seja, os dias finais do governo humano na Terra, a religião, o comércio e a política se fundiram em um só sistema de dominio e de controle do Anticristo.
Os três se tornaram um trindade de controle sobre a raça humana. De fato, é quase impossivel hoje não estar preso ou subjugado pelas forças que estão por detrás destes sistemas.

O apóstolo João diz em sua carta: "não ameis o mundo".
Seria muita ingenuidade pensar que aquela grande prostituta que está no cap 17 de Apocalipse trata-se apenas das grandes religiões do mundo, tipo: Católica Romana, Espírita Kardecista, Budismo, ou qualquer uma outra, pensando que quando se trata da igreja protestante, ou até mesmo a evangélica "pentecostal", seria pecado afirmar que ela está incluída na diabólica Meretriz do Apocalipse!
Alí tudo se fundiu!

Ali nem mesmo o "Cristianismo" se salva! O Cristianismo em todas as suas vertendes caracteriza com suas hieraquias e seu consumismo comercial e sua ganância pelos poderes deste mundo, está ali no Apocalipse se deleitando com o sangue daqueles que morreram por amor ao Evangelho Eterno.

Mas como isso?
Não é o Cristianismo uma religião fundada por Cristo?
E por acaso veio Jesus a este mundo para fundar uma religião?
Onde é que voce encontra isso no Evangelho?
Quem foi que chamou os primeiros discipulos de "cristãos"?

A eklésia que Jesus iniciou são aqueles que foram "chamados para fora" do sistema do mundo!
Mas a religiosidade evangélica nos "empurra" para dentro dele de novo!
Demorei 30 anos para perceber isso!
Não sei como Deus "julgará" os que estão lá dentro, mas sei que Jesus nos chama para fora! (Hebreus13)

Mas o que me faz pensar que hoje a igreja "evangélica" pode ser incluída como um grupo religioso e estar dentro dela é estar numa religião como outra qualquer?

As denominações (nomes, bandeiras, slogans, hinos...).
As tradições e a história da denominação.
O local que chamam de igreja, templo e "casa de Deus"
A liturgia musical repetitiva; o sermão elaborado, o levantamento das ofertas e dos dízimos e os recados da semana.
O metódo de evangelismo e das missões, e com isso, a necessidade de manter a "obra do Senhor"
A ênfase nas personalidades que pregam, cantam; dos pregadores eloquentes e "fogo puro".
As Bíblias com comentários, de estudos (Bíblia de Estudo Pentecostal, Profecias, Vitória Finaceira e Batalha Espiritual, e por aí vai...).
A ambição e o triunfalismo político.
A vontade do Senhor de estar na televisão.
As hierarquias eclesiásticas constituidas; os postos, cargos, títulos e funções (OS UNGIDOS DO SENHOR, OS APOSTOLOS, BISPOS e REVERENDOS).
As Diretorias e as Assembléias.
O comércio da "FÉ" em campanhas e o uso abusivo dos objetos místicos ( lencinho, óleo ungido, rosa ungida, sabonete ungido e água ungida) a "campanha da Semana".
O repasse e as vendas dos objetos ungidos!
O culto da "Vitória"; a "sexta feira dos milagres", a "quarta feira da Cura", o domingo da Familia, o sábado da Prosperidade.
Os encontros, seminários, congressos de "FOGO PENTECOSTAL"!!
Departamentalizações de esquesitices doutrinárias (Seminário dos MILAGRES, DA CURA INTERIOR, DA BATALHA ESPIRITUAL, DAS QUEBRAS DE MALDIÇÕES, DOS MAPEAMENTOS DE ESPIRITOS TERRITORIAIS)
O dia de domingo para ir no "culto".
A Escola Dominical, a E.B.D. (e suas revistinhas)
É um deus com lugar e hora marcada para abençoar e abrir o "baú da felicidade". Mas só abre o baú se voce der algo em troca!
As disputas de poder entre os pastores e "suas" regiões demarcadas pela denominação.

De onde tiraram tudo isso?
Não foi do Evangelho!

Um comentário:

Anônimo disse...

Reinaldo
lendo seu texto,achei extremamente reflexivo e fazendo uma analise ,percebi a grande necessidade de se viver fora da religião,longe ,muito longe de tudo aquilo que mencionou.Ah,fico feliz que tenha perdido apenas 30anos de sua vida lá.pensando de forma positiva vejo a grandesa de seus dias fora dela.
clau.santos