sexta-feira, 4 de julho de 2008

Um olhar tocado pela Graça.

Um olhar tocado pela Graça.

Falar da Graça hoje pode parecer uma nova “moda”, uma nova mania inventada pelos evangélicos descontentes, pode parecer mais uma nova “onda” que está vindo como uma novidade para pessoas que se cansaram da religiosidade da igreja, pode se tornar até um tema “idolatrado”, ou seja, como se fosse a quarta pessoa da trindade, mas não é!

Há uma vida que pode ser vivida por cada ser humano que conseguir enxergar o outro lado da vida que foi gerado pela Graça divina. Um coração que foi tocado pela presença de Deus e que consegue traduzir e encarnar este toque.

Uma vez que foi tocado por este mundo invisível que foi projetado por Deus, ou seja um mundo segundo aquilo que foi planejado para ser “este” mundo mas que a maldade humana simplesmente não consegue e não deixa acontecer porque nunca viu e nunca sentiu como seria isso. É como conseguir olhar pela janela deste mundo e ver o mundo de Deus lá no lado de fora. É como estar dentro deste mundo e conseguir de repente ver o mundo de Deus lá fora. Deus sinaliza nosso olhar para esse mundo, o Seu mundo o tempo todo, mas não conseguimos enxergar. Os problemas desta vida, as aflições e dramas pessoais de cada um de nós, a correria e os negócios a serem resolvidos no dia a dia não permitem que enxerguemos. Até mesmo toda a religiosidade humana cria um véu que não nos deixa ver o mundo maravilhoso de Deus que está por detrás da cortina da janela deste mundo. O mundo de Deus está lá do lado de fora e não conseguimos enxergar! É irônico e trágico.

Só um coração que foi tocado pela Graça é que pode ver e sentir esse mundo invisível de Deus! Ele é mais real do que o nosso. Mais real porque Jesus disse que “este” mundo vai passar e está se destruindo e se desvanecendo e porque este mundo vai precisar dar lugar ao Reino de Deus que já está aqui e veio para ficar! São dois mundo: este aqui, o visível, efêmero, passageiro, cruel, injusto e violento que os homens governam e o mundo de Deus, invisível, eterno e conhecido e chamado na Bíblia de “Reino de Deus”.

Porque o Reino de Deus “não é comida e nem bebida, mas justiça, e paz e alegria no Espírito Santo”. (Romanos 14:17). “Pelo que, tendo um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos agradavelmente a Deus com reverência e piedade” (Hebreus 12:28). “Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia. Pela fé habitou na terra da promessa, como em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa. Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus”.(Hebreus 11 8-10). E Moisés deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível, tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa.” (Hebreus 11:24- 27)

Um comentário:

clau disse...

Parabens pelo texto,vc tem uma percepção interessante sobre a vida,confesso que muitas vezes me surpreende,algumas não rsrs muitas vezes me pego surpresa com vc.espero que nunca me esqueça ,vc é especial pra mim Pastor um abraço.bjs até.