domingo, 25 de março de 2012

Igreja Universal x Igreja Mundial

A briga está feia e vai ficar pior, pois tem muita coisa em jogo!
Dinheiro, poder, política, sucesso, prosperidade e muitos empregados "mamando" nessas tetas.

Mas há muitos ministérios "menores" imitadores desses dois tais que trabalham na "surdina" e no vácuo da Universal e na Mundial, esperando sua vez! Receio que outras "porcarias" tomem os lugares dessas  duas tão invejadas "igrejas". 

Creio que a doce revolução do Evangelho já está acontecendo e não é visível e nem tão popular assim. 

O pessoal não entendeu ainda a diferença de um "membro" ou "frequentadores, campanheiros, misseiros correnteiros" domingueiros, de um verdadeiro discípulo de Jesus. Ainda buscam "réplicas" de Moisés, Elias, João Batista, Agostinho, Policarpo, Calvino, Lutero, Piper, Nicodemos, Sttot, Finney, Max Lucado, Malafaia, Benny Hinn, Milhomens, Caio Fábio, Ed Renne Kivitz, Mário de Oliveira, RR Soares, Padre de Melo, Maria, Pedro, Kardec, Wellen White, Joseph Smith, Rutheford (sei que coloquei todos num balaio só! Me desculpem!) ou qualquer um outro. 
Enquanto o "culto" estiver no "altar", nos "músicos", nas batinas, nos ternos, nos batismos, nas ceias, nas doutrinas, nos templos, no sábado e  outras coisas mais - esqueça avivamento!

O Pai só tem Um Modelo e esse é Seu Filho Amado - Jesus.

Enquanto os líderes e os "membros", "pastores", anciões, bispos, padres, papas e mega apóstolos" não entenderem o capítulo 4 de Efésios tudo será ilusão. Não importa a "denominação" histórica, católica ou neopentecostal, tudo não irá passar de uma "cortina de fumaça" e religião. 
Deus só tem compromisso com um Modelo e Esse é o Seu Filho amado "em quem me comprazo"!
É o Caminho mais difícil? 
Mas é o Único Caminho!
O "monte da transfiguração" que nos diga - mas ninguém entende!

Reinaldo

Um comentário:

Dáuvanny Costa disse...

Boa reflexão. Quanto ao "balaio", é compreensível. Não significa que sejam todos iguais, mas somente que devemos seguir como modelo o Filho - apenas.
Infelizmente vivemos tempos tortuosos espiritualmente - e moralmente.
Abraço.