segunda-feira, 5 de outubro de 2009

É simples assim?

Nessa última semana estive em duas reuniões com um grupo de pessoas. 

Dois grupos pequenos

Entre essas pessoas haviam alguns esotéricos e "desviados" da igreja evangélica. Tanto na primeira reunião, realizada numa quinta, como na outra, feita num domingo de manhã, a reação daqueles que estavam nos conhecendo foi a mesma. Depois de nos ouvir cantar e refletir num texto do Evangelho, a reação quase sempre é imediata: "Mas é tão simples assim?". É a pergunta que ouvi . Outra confessou: "Estive a tanto tempo na igreja e nunca ouvi falar de Jesus desse jeito. Confesso que meu entendimento da Bíblia começou a mudar depois que comecei a olhar pra Jesus como um meio de compreender as Escrituras!". Uma outra disse "Nossa! Pensei que minhas angústias na "igreja" fossem "rebeldia" minha, mas agora vejo que não tem nada haver com o que aprendi lá!"

Eu quase que repito a mesma justificativa sempre: "Olha, mas não são todas as igrejas que se desviaram da simplicidade do Evangelho, é verdade que a maioria, principalmente as que ensinam e vendem "os milagres" pela televisão e muitas outras grandes denominações já se desviaram a muito do Evangelho de Jesus, no entanto, existem algumas poucas igrejas que continuam saudáveis em relação ao evangelho!"  Mas eles perguntam: "Quais?"

Ainda existem as igrejas chamadas "históricas e fundamentalistas". Mas observe que a própria palavra já indica que há um problema: "fundamenta - listas" (ou pior: funde-a-mente-em-listas!). Embora não sejam tão agressivas e mercadológicas quanto às pentecostais e as neo- pentecostais, eles se configuram num grupo que se mantém fixos há uma lista rígida de doutrinas históricas e a níveis de hierarquizações inflexíveis! Lutero, Calvino, Finney, Wesley e a "história e a tradição" da denominação são seus bens mais preciosos!

Não desprezo a vida e a obra desses homens, muito pelo contrário, os admiro, mas Jesus é e sempre será meu exemplo "ÚNICO". 

E eu preciso de mais alguém?

A simplicidade do Evangelho de Jesus assusta!

A maneira como Ele ensinava a viver a vida sem dogmas, sem religiosidades e sem o conceito bi-polar de espiritualidade e mundanismo, santidade e imundícia, certo e errado ensinados pelas instituições eclesiásticas é muito diferente. Só não enxerga quem não quer ou não consegue.

Deus disse para Isaías: "Esse povo tem ouvidos mas não ouvem, tem olhos mas não enxergam".

Em Jesus e nas cartas de Paulo, muitas das coisas que acreditamos serem importantes, necessárias e até "sagradas" para a vida cristã, não tem nenhum valor e são quase sempre pesos que deveriam ser descartados o mais rápido possível.

Mas como disse Jesus: " Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não vêem vejam, e os que vêem se tornem cegos". E continuou dizendo aos fariseus da religião fixa de sua época: " se fôsseis cegos, não teríeis pecado algum; mas, porque agora dizeis: Nós vemos, permanece o vosso pecado" (João 9:39-41)

Reinaldo de Almeida

2 comentários:

Mandrake disse...

Texto muito bom, mas o senhor na acha que a "simplicidade" em demasia pode causar a desordem?

Depósitos de idéias disse...

Obrigado Mandrake por seu comentário.

A questão é o que você entende por "desordem"?
Observe que na criação natural de Deus não há desordem, na (igreja) espiritual não foge a "regra".