quarta-feira, 9 de abril de 2008

A entrada é de Graça o saldo restante será parcelado

As igrejas evangélicas (e agora, a Católica também!) segue as tendências do mundo empresarial. Ela escolheu seguir os princípios de uma administração comercial e as técnicas de marketing oferecidas pelas agências de publicidade.
E quais são os seus produtos? Quais as formas para adquiri-los? Como pagá-los?

As "bênçãos", os "milagres", a "prosperidade", a "saúde", "proteção espiritual" e a "salvação" da família, bem como a salvação da alma são alguns dos produtos oferecidos por ela.

Leia-se os cartazes pregados nos postes, pendurados em faixas, anunciados em folhetos impressos das "campanhas" e correntes de 7 semanas de orações e principalmente as técnicas anunciadas pelas igrejas que estão usando e abusando da televisão (Record, Bandeirantes, RedeTv, RedeVida, Canção Nova).

O "banco" financeiro é o "nome de Jesus", pois ele "garante" a bênção (ou seja, o produto desejado).

As igrejas pentecostais e as neo-pentecostais são suas agências mais arrojadas.

Os "pastores" são seus gerentes comerciais mais devotos, excercendo também o papel "garoto propaganda", "animador de auditório", cobrador e gerenciador das parcelas mensais (leia-se dízimos e ofertas alçadas).

O produto só é garantido dependendo da "fidelidade" do cliente. A infedilidade (tambêm chamada de "desobediência" aos critérios da agência não garante 100% do produto desejado, podendo também atrair "maldição") não garante o produto e nem a qualidade dele.

Agora, a forma de pagamento exige muita técnica e o uso de ferramentas psicológicas por parte do gerente. O uso do emocional e do medo espiritual bem aplicado - (pois neste caso existe uma entidade espiritual - os gafanhotos do livro de Joel? - que é pior do que o SPC) garantirá o lucro, caso contrário, perde-se o cliente (o membro) permanentemente e com isso, a durabilidade dos negócios.

Só a "entrada" é de graça, pois uma vez estando lá, sua dívida será para até o fim de sua vida. Você ouvirá alguém dizer " que a salvação é de Graça, mas tem que se pagar um preço para obtê-la!". Como pode ser isso?
De maneira que só a "entrada" é de graça o saldo restante é por sua conta até o fim da vida e as "bênçãos" dependerá inteiramente de sua fidelidade aos critérios (sejam eles morais, éticos, estéticos, financeiros...) exigidos.

Nossa!!Que Loucura!!
Como pode ser feliz alguém que se compromete com isso??

Tudo isso muito longe do Evangelho de Jesus
Isso nada tem haver com o projeto do Reino de Deus revelado em Jesus.

Mas é isso o que as pessoas estão "comprando".
É nisso que elas estão "investindo" suas vidas...

Nenhum comentário: