quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Novo comentário para a estrangeira sobre Silas Malafaia


Há muito tempo o pr. Silas Malafaia deixou de pregar o Evangelho de Jesus Cristo. ELE SÓ PREGA PRA CRENTES!
Pessoalmente, não conheço nenhum “incrédulo” que se converteu com a pregação dele. Mas sei que estou condicionando essa suspeita ao meu mundinho particular.
Os incrédulos que eu conheço se irritam com a voz de Malafaia na televisão e veem ele como um discipulo do Edir MAcedo. Observe que suas cruzadas (E SUA AUDIÊNCIA TELEVISIVA) só ajuntam crentes! Não vejo em quê o Reino de Deus ganha com isso!?
É um preço muito alto pra poucas almas (se é que tem!?) serem salvas em suas pregações pela televisão. Alías, essa idéia de que Deus precisa da televisão pra “propagar” a Sua Palavra é uma grande bobagem. Aindo me lembro de Jimmy Swaggart quando no auge de seu ministério, pensava ser insubstituível na televisão!
É lógico que quem está investindo no ministério “televisivo” do Malafaia terá que defendê-lo! É duro acreditar que se está sendo enganado!
Como já escrevi antes, conheço a conversa desses caras numa mesa de café e sei o que eles defendem… e acredite não é o Evangelho.
A palavra de Jesus ainda permanece de que “a boca fala do que o coração está cheio”.

Ouvindo as pregações de Silas Malafaia dá para se saber do que o coração dele está cheio!
Sinceramente, gostaria de ver multidões dos que não conhecem a Jesus estarem sendo salvas pelo ministério de Silas Malafaia, mas isso não está acontecendo. Observe, é só pra crentes!
Nesse quisito, pelo menos, Jimmy Swaggart não deixava a desejar. Era comum nos sábados de manhãs ouvir o programa dele sendo assistido em casas de católicos, evangélicos e espíritas e “pecadores” sem religião. Disso eu me recordo. E conheci muitos que se converteram com elas.
Silas Malafaia acredita ser um profeta do povo evangélico. Será julgado por seus frutos tanto por Deus como pelos homens.
Estrangeira, fico feliz pela abordagem corajosa e por sua santa obstinação!
Reinaldo de Almeida

Nenhum comentário: