terça-feira, 29 de setembro de 2009

O BOM CAMINHO DO EVANGELHO


Durante muitos anos vivi no seio da igreja evangélica acreditando estar no caminho legítimo da salvação.

É verdade que nos anos passados, a igreja não tinha absorvido ainda essa quantidade enorme de doutrinas estranhas e alienadas do Evangelho de Jesus. Acredito, que muita gente sabe do que estou falando.


Então não vejo aqueles dias como dias desperdiçados. No entanto, no início da década de 80 as coisas começaram a mudar e mudar gradativamente. Foi uma mudança inicialmente sutil, até que veio o advento da igreja universal com outras denominações televisivas.

A partir dali, somado à uma invasão de teólogos visionários da prosperidade americanizada, juntando à isso muitas outras influências de erro, enganos e exageros doutrinários, a situação piorou terrivelmente. Sentia uma náusea espiritual constante dentro de mim. Um mal- estar frequente em meu espírito. Já não me sentia mais a vontade para pregar determinados textos da Bíblia dentro da “igreja” que estava.

A experiência emocional e o pragmatismo cada vez mais valorizado entre os pentecostais, somado às disputas políticas de poder nos bastidores das denominações pelas quais passei, me fez passar por um tempo de crise e de angústia espiritual porque em meu coração eu pensava e havia sido ensinado que estando na “igreja” era o único meio de estar agradando e servindo a Deus, e que, estar fora dela, era estar “desviado”.


Durante os dois primeiros anos desse rompimento com essa “igreja”, procurei uma denominação que pudesse se aproximar o máximo dos ensinamentos simples do Evangelho. Confesso que não encontrei. Então, resolvi assumir minha condição de “desviado” perante meus “irmãos” e “amigos” mais chegados. Houve uma dura ruptura. Eles foram “fiéis” aos doutrinamentos que receberam e me trataram como tal.

Fiquei sozinho.

O interessante é que não parei de orar e ler a bíblia durante esse tempo. Continuei pregando o evangelho também pra quem se dispunha a ouvir. Fiquei quatro anos sem colocar o pé em nenhuma “igreja”. Nesse tempo fui encontrando a beleza e a simplicidade da mensagem de Jesus. Passei a gozar de uma relação gostosa com Deus. Baseada na graça e no perdão de Deus.

A leitura e a revelação da Palavra se “amplificou”. A Bíblia se renovou para mim. Quatro anos fora do sistema “igreja instituição”, foi o tempo que levei para  ”deletar” o sistema “igreja” e então começar a experimentar a Graça diária de Jesus.


Hoje, não troco por nada o que aconteceu e tem acontecido comigo. Não acredito numa reforma dentro do sistema “igreja”. Já não discuto mais com os que não conseguem enxergar as coisas ruins e se permitem continuarem a “engulir” muitas coisas indigestas que acham necessárias para o “o bom andamento da obra do Senhor”. Deus está muito além das formas cristianizadas que inventaram para Ele.


Acredito que ele não dá a mínima para os nossos debates teológicos e doutrinários. O que importa para ele é só o Evangelho de Seu Filho. Já estou cansado dos blogs que tentam defender essa instituição que eles chamam de “igreja”. Se você tiver a coragem para se libertar de tudo isso e desejar continuar sua jornada no bom caminho do Evangelho, não perca o seu tempo, comece agora. Você vai perceber que o evangelho de Jesus é a vida verdadeira pela qual voce sempre procurou.

Reinaldo de Almeida

Nenhum comentário: