domingo, 26 de maio de 2013

Pena de morte no Brasil e o Evangelho



O Brasil está apodrecendo como sociedade civil e suas instituições.

Isso tudo é mais por causa de seu baixo padrão moral e ausência de caráter daqueles que são governantes eleitos pelo povo, numa eleição que carrega todas as características de fraudulência e manipulação, desde suas campanhas eleitoreiras até sua manipulação nos resultados finais de urnas eletrônicas.

Os problemas do Brasil, resumindo, são três:  falta de caráter,  falta   moral e falta de ética do povo e de seus líderes eleitos por esse povo; afinal de contas, os líderes são eleitos pelo povo, sendo estes um espelho do próprio povo!

O Brasil já foi melhor administrado apesar da famigerada ditadura, tempos que deveríamos jamais desejar que voltassem. Mas agora ele piorou muito e piorou por um quarto fator: impunidade e injustiça.

Injustiça sempre houve. 

Mas havia medo e respeito pelas autoridades constituídas. O medo jamais deveria ser instrumento de governabilidade, mas a ausência dele piorou tudo!

Há um clamor, um grito abafado na sociedade brasileira por penas mais severas contra o corrupto, assassino, latrocida, estuprador, ladrão dos cofres públicos, etc...

A pena de morte seria uma solução? Claro que não!
Pena de morte no Brasil seria executada contra muita gente inocente. Seria um caos!

Mas, num grito desesperado, à pena de morte como medida urgentíssima causaria uma boa freada contra essa onda de homicídios que está varrendo o Brasil. 

Se o homicida não é punido, uma pena de morte "já se instalou" contra gente inocente nesse país!

Inocentes estão pagando mortalmente pela impunidade e injustiças praticadas nesse país. De modo que uma pena de morte "já existe " nessa nação porque quando os justos se calam ou se ausentam e os instrumentos legais de punição não mais funcionam o que prevalece é a lei do mais forte e bem armado! Jesus já disse isso em uma de suas parábolas: "Quando o valente guarda, armado, a sua casa, em segurança está tudo quanto tem; Mas, sobrevindo outro mais valente do que ele, e vencendo-o, tira-lhe toda a sua armadura em que confiava, e reparte os seus despojos. Lucas 11:21-22.

O interessante é que Jesus nasceu, viveu e morreu debaixo de um regime político onde a pena de morte era aplicada todos os dias contra os inimigos do império! Crucificados se estendiam por muitas estradas da Palestina, contudo, Jesus não disse nada contra este instrumento de punição, pelo contrário, humanamente falando ele foi morto por causa dela, pois afinal de contas, por questões fraudulentas, ele foi acusado de inimigo do império!

Jesus não era a favor da morte e sim da vida!
No entanto morreu defendendo a vida!
Paradoxalmente, a defesa da vida pode gerar morte para que pessoas inocentes não continuem a morrer!
Foi o que aconteceu na crucificação de Jesus.

O interessante, é que mesmo Jesus perdoando o ladrão que estava ao seu lado crucificado juntamente com ele, após o perdão, ele não foi solto da cruz. Pagou sua sentença civil com a morte. O perdão de Jesus não o isentou da pena do Estado. Então, temos duas Leis operando aqui: Uma contra Deus, que foi perdoada, e outra contra a sociedade, que foi executada até o fim sem a intervenção divina!

Deveríamos aprender uma lição que está clara aqui.

Como discípulo de Jesus de Nazaré, sou a favor da vida e contra tudo aquilo que gera morte, inclusive de pessoas inocentes, e que cabe ao Estado executar sentenças contra indivíduos que mataram na sociedade. A conversão de um homem a Deus não deveria atenuar sua pena contra os males que causou na sociedade, caso contrário isso viraria um caos como temos visto acontecer no Brasil.


Se vivêssemos numa sociedade justa nada disso deveríamos estar discutindo, mas o mundo não é assim, por isso, antes de aparecer as leis dos "dez mandamentos", lei judaico-cristã, muitos séculos antes de Moisés descer do Sinai, quando ainda os homens deveriam seguir as "leis da consciência" , num mundo onde o Estado não havia ainda sido criado, Deus disse a Noé, o  Noé da arca do dilúvio, gente!: Certamente requererei o vosso sangue, o sangue das vossas vidas; da mão de todo o animal o requererei; como também da mão do homem, e da mão do irmão de cada um requererei a vida do homem.

Quem derramar o sangue do homem, pelo homem o seu sangue será derramado; porque Deus fez o homem conforme a sua imagem.  Gênesis 9:5-6

Reinaldo de Almeida
Mogi-Guaçú 26-05-2013






Nenhum comentário: